Categorias
Fake News

O falso Fact Checking do Observador

Fact checkers em parceria com o Facebook têm um tremendo poder de decisão. Ao denunciar uma publicação como falsa o Facebook torna-a menos visível. Se várias publicações forem denunciadas a página pode perder visibilidade no feed e até a possibilidade de monetizar conteúdo.

Grande poder traz grande responsabilidade, algo que, como vamos ver abaixo, falta ao Observador. Num espaço de dois dias foram denunciados dois memes do O Bom Europeu. Memes não são notícias nem factos, o que torna aparente a vontade que o autor João de Almeida Dias teve em atacar a página por motivos ideológicos.

Os Artigos

Dia 14 de Novembro o Observador lançou o seguinte fact check, avaliado como Errado e escrito por João de Almeida Dias:

Fact Check. Os imigrantes e minorias cometem 50% dos crimes em Portugal?
Um post da página de Facebook O Bom Europeu sugeriu que metade do crime em Portugal é cometido por imigrantes. Os números oficiais demonstram uma realidade bem diferente.

Começamos já com um título problemático porque afinal estamos a fazer fact check a uma “sugestão” e não a uma notícia ou a uma declaração. Problemático porque esta sugestão foi interpretada pelo João Dias, podendo assim dar o rumo que quiser ao fact check por não ser algo objectivo.

Meme em questão

O artigo continua:

A página de Facebook “O Bom Europeu” publicou uma imagem onde, recorrendo ao célebre momento em que o então primeiro-ministro António Guterres se atrapalhou a calcular 6% do PIB nacional, procura passar a ideia falsa de que 50% do crime em Portugal é cometido por 13% da população.

Entra aqui o grande erro do artigo. O Bom Europeu nunca sugeriu que se tratavam de estatísticas Portuguesas. Quem conhece as ideias da nova direita certamente reconhecerá esta estatística – é referente a dados dos EUA em relação à criminalidade dos afro-americanos:

Nas categorias de roubo e homicídio os afro-americanos representam uma maioria dos casos. Em praticamente todas as categorias estão sobre representados em relação à percentagem população (12.2% -dados 2010)

Composição racial Estados Unidos 2010
Composição racial Estados Unidos 2010

O artigo continua acusando a página de xenofobia e racismo provando que, em Portugal a população imigrante é de 4.65% e que não cometem 50% dos crimes. Menciona também que 15.2% dos reclusos em Portugal são estrangeiros, sendo 3.3x mais representados do que o esperado na população reclusa, fazendo o argumento pelo O Bom Europeu.

Na mesma veia, pelo mesmo autor e dois dias depois, o Observador lança outro fact check que avalia como Errado:

Fact Check. Imigração provocou queda do QI dos franceses?

Uma página de Facebook publicou uma notícia que referia que a queda do QI em França se deve à imigração. Não só essa notícia é falsa, como deturpa o estudo em que a notícia original se baseia.

O artigo continua dizendo que “O QI dos franceses está em queda livre [por causa da imigração]” é Errado.

Ora vemos aqui mais um caso de desonestidade jornalística. O Bom Europeu publicou um meme, não uma notícia. Para além disso a frase criada pelo João Dias descreve o que ele acha que O Bom Europeu quis transmitir. Não é um fact check, é uma opinion check à própria opinião que o João Dias tem do meme.

Mesmo assumindo que a frase inventada pelo João Dias reflete a intenção do O Bom Europeu, está imprecisa. Uma frase mais correta seria O QI dos franceses está em queda livre [em parte por causa da imigração africana].

O artigo continua descrevendo o estudo original no qual se baseia o artigo do Le Point:

Publicado na revista científica Intelligence em 2015 […] da autoria dos investigadores Edward Dutton e Richard Lynn, o estudo fala de uma queda de 3,8 pontos no QI dos franceses entre 1999 e 2009, com base num conjunto de testes feitos a 79 pessoas entre os 30 e os 63 anos.

O artigo cita depois os autores:

É provável que estes imigrantes tenham tido um impacto na diminuição da média do QI da população. [de recrutas militares].

Mas restam várias dúvidas sobre se o aumento de imigrantes com QI mais baixos tenham tido um efeito generalizado e grande o suficiente [para baixar a média]

Esta tradução está imprecisa de maneira a favorecer o argumento de João Dias. Uma tradução mais precisa seria:

Mas restam dúvidas sobre se o aumento no número de imigrantes com QI mais baixos tem sido suficientemente grande para ter tido um efeito principal [na diminuição da média]

Original: but it is doubtful whether the increase in the number of immigrants with lower IQs has been sufficiently great to have had a major effect.

Desta vez, com a tradução bem feita, podemos ver como os autores do artigo aceitam que um aumento de imigrantes com QI mais baixo diminui o QI médio do país que os recebe.

João Dias continua:

Os autores referem ainda um estudo com recrutas militares na Noruega […] em que a variação do QI entre os noruegueses e os imigrantes de fora da Europa levou a uma queda de apenas “0,1 a 0,2 pontos de QI”

O que João Dias não menciona é que os imigrantes eram apenas 2-3% da amostra Norueguesa quando em França são 8%.

Também na Noruega apenas 12.5% dos imigrantes são africanos quando na França são 45.9%. Isto é relevante porque africanos têm em média um QI 10-20 pontos mais baixos que os Europeus e Asiáticos, tendo assim um efeito mais forte na diminuição do QI do país que os acolhe.

Tendo em conta que França recebe 3.6x mais migrantes de África e 3.2x mais imigrantes que a Noruega, podemos
estimar uma diminuição em cerca de 1.7 Pontos de QI. (0.153.63.2 = 1.7)

Veredicto final do Fact Checking do observador: FALSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *